O que vestimos está a despir o planeta?

Neste episódio estivemos à conversa com Salomé Areias, fundadora da Fashion Revolution Portugal.

A Salomé é uma ativista apaixonada por comportamento de consumo. Estudou Design e Sociologia de Moda entre Lisboa e Buenos Aires e cedo percebeu que eram falsas tendências de Moda que alimentavam a obsolescência quase imediata. A sua vontade de que a moda tivesse tendências mais lentas levou-a à Science of the Time, Trendwolves e PSFK. Foi professora, coordenadora de curso, e gestora de produto, vivendo entre Ghent, Zhuhai e Luanda. Tem falado sobre Sustentabilidade desde que fundou o Fashion Revolution em Portugal, em 2014. Conduz hoje uma investigação de doutoramento sobre Consumer Awareness no CENSE, que lhe valeu uma bolsa da FCT.

Pode a moda ser sustentável? O que vestimos está a despir o planeta? Que poder tem o consumidor para transformar a indústria têxtil? E as marcas, o que estão a fazer? Como detetar e combater o "greenwhashing"? A Salomé guia-nos pela complexidade deste assunto e conta-nos a história de um movimento que, na sequência de um dos maiores desastres - o trágico colapso do Rana Plaza,em Dhaka -, expôs as fragilidades da "fast fashion", deu voz aos consumidores e uniu todas as partes da cadeia de abastecimento em torno de uma exigência: transparência na indústria têxtil.

Obrigada, querida Salomé, por teres aceitado o nosso convite e pela inspiração que és. O teu exemplo de ativismo é uma referência pelo compromisso ético, independência e lucidez inteligente. Começaste uma revolução e nós vamos contigo.

A voz ao comando, como sempre, é da Paula Cordeiro, numa produção Streaming Ideas.

Esperamos que gostem!

Até já!