Especial Casa de banho, como reduzir o uso do plástico?

Especial Casa de banho, como reduzir o uso do plástico?

Esta semana dedicaremos os nossos artigos à higiene! Higiene pessoal e das nossas casas. “Desvendaremos” as alternativas para reduzirmos o uso do plástico na casa de banho e nos produtos de limpeza.

Será (mesmo) que tudo vem embalado?  

Recentemente publicamos um artigo Especial – Cozinha, como reduzir o uso do plástico? onde partilhamos uma dica (infalível) para começarmos a ter noção da quantidade de resíduos que geramos e de que partes da casa é que eles vêm. Trouxemos também algumas sugestões de utensílios – esponjas, escovas e detergentes, duráveis, biodegradáveis e, portanto, não oferecendo prejuízo à nossa saúde e à do ambiente.

Chegamos até à casa de banho, e confesso que chego a sentir uma certa ansiedade, sei que é uma área que estou a tentar (pouco a pouco) transformar cá em casa. Curiosamente, os primeiros momentos de consciência surgiram quando percebi que sempre tinha à mão alguma embalagem para distrair a minha sobrinha na hora do banho. Embalagens de champô, amaciador, esfoliantes, creme para “isso” e para “aquilo”, detergente líquido, máscaras capilares… Ufa! Um verdadeiro “paraíso” de artigos para entreter uma bebé de 11 meses.

Os resíduos que se acumulavam no caixote destinado ao plástico eram provenientes maioritariamente da cozinha e da casa de banho. Embora ainda tenha um longo caminho pela frente, sobretudo nesta divisão, sinto-me inspirada pela história da nossa Eunice e pelas aprendizagens que tenho tido na Maria Granel. Pouco a pouco, e tendo acesso às informações (o que é essencial neste processo), vou dando os primeiros passos.

Menos é mais

A boa notícia é que atualmente o mercado responde à exigência e necessidade de oferecer produtos que respeitem os recursos naturais e cuidam da nossa saúde. São soluções mais responsáveis perante os desafios socioambientais que enfrentamos, com menos embalagens, menos aditivos prejudiciais ao ambiente, sem testes em animais, menos riscos e mais vida!

Além das alternativas (do bem) existentes no mercado, há sempre a boa e velha possibilidade de fazermos os nossos próprios produtos, a partir da despensa da casa. Com as informações necessárias podemos desenvolver os principais itens de higiene sabendo exatamente os ingredientes que levam, com a vantagem de eliminar os conservantes, as substâncias tóxicas e os microplásticos. “Esta parte agrada-me muito, porque é uma conquista de liberdade e de independência. Dão-nos o poder de fabricar o produto confortavelmente quando e onde quisermos, recuperando uma tradição ancestral que se perdeu de trabalho manual e caseiro”, partilha Eunice.

 Beleza à medida

Simples, eficientes e com um cheirinho que podemos escolher, os produtos que nascerão a partir das nossas mãos não apenas serão mais economicamente viáveis como contribuirão (ativamente) paraa redução do desperdício.

Aqui ficam as receitas de três produtos indispensáveis:

Esfoliante –

  • 2 colheres de sopa de sal ou açúcar;
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 colher de sopa de óleo de coco (de preferência orgânico, certificado e de extração a frio, para manter as qualidades do produto);
  • 4 gotas de óleo essencial (à sua escolha);
  • 1 colher de sobremesa de chá matcha.

Passo a passo – Depois de humedecermos o rosto, aplicamos a pasta, massageamos e removemos com água morna.

Receita: Cátia Curica / Imagem: Cristina Vaz

– Sabonete líquido –

  • 1 pedaço de sabão (o nosso preferido é o de Marseille) – ralado
  • Água quente.

Passo a passo – Basta juntarmos os dois ingredientes, mexer e já está!

Imagem: Cristina Vaz

– Máscara hidratante –

  • 2 colheres de sopa de mel;
  • 1 colher de sopa de azeite;
  • 1 colher sopa de óleo de sésamo;
  • 2 colheres de sopa de argila;
  • 4 gotas de óleo essencial;
  • ½ colher de sopa de cacau;
  • ½ colher de sopa de clorela

Passo a passo – Misturamos os ingredientes numa taça e aplicamos no rosto previamente limpo e deixamos atuar por cerca de 10 minutos. Retirar com água morna.

Receita: Cátia Curica / Imagem: Cristina Vaz

Estas e outras receitas de produtos de higiene e beleza podemos encontrar no livro “Desafio Zero”, da nossa Eunice.

Além de termos a oportunidade de resgatar este “saber-fazer” ancestral, que por si só é uma experiência prazerosa, preparámos também uma pequena lista com os principais ítens a ter em conta para uma casa de banho mais consciente:

  • Cotonetes – Sabia que este “inofensivo” objeto é um dos 10 itens mais encontrados nas nossas praias? Acontece porque (infelizmente) são descartados na sanita. Uma alternativa é optar por cotonetes de bambu ou papel, que sejam 100% biodegradáveis.
  • Discos desmaquilhantes Podemos despedir-nos das toalhitas convencionais. Os discos são de algodão biológico e podem ser úteis noutros fins. Cá em casa, por exemplo, uso para remover também o verniz das unhas.
  • Escova de dentes – Produzidas com bambu biológico, são naturalmente biodegradáveis e compostáveis. Antes de as descartarmos devemos retirar as cerdas (de nylon) do cabo.
  • Lufa vegetal Uma opção natural, biodegradável e que ao final da vida pode ser compostada.
  • Sabonete – Em barras, por quilo ou líquido, basta escolhermos a versão que mais nos agrada e nos deliciarmos com os aromas e as propriedades de cada um deles.
  • Champô e amaciador – A semelhança dos sabonetes, temos disponíveis opções sólida e líquida para todos os tipos de cabelo – oleosos, normais, volumosos e tingidos. É só escolher!
  • Pensos e copo menstrualOpções para experimentarmos uma menstruação mais livre e com menos lixo! Recentemente, num artigo, exploramos o universo do coletor menstrual. Vale a leitura!

Pequenos passos como os de olhar (atentamente) para o nosso lixo, a fim de perceber onde podemos tentar minimizar o descarte, é um grande gesto de mudança. As transformações acontecem a partir daqui. Sem pressa. É sobre tomarmos consciência (verdadeiramente) do nosso impacto no micro (inicialmente). É procurar manter os nossos “radares” atentos às formas como escolhemos e consumismos e para isso há ferramentas que podem auxiliar-nos neste processo. Um (bom) exemplo é a plataforma Skin Deep – Cosmetics Date Base que testou cerca de 70 mil produtos de 2 mil marcas, e disponibiliza uma lista de substâncias prejudiciais que estes produtos “escondem”. Vale a pena a consulta!

E por ai, tem alguma receita caseira que não pode faltar na sua casa de banho? Contem-nos tudo!!!

Fonte: Desafio Zero; Associação Portuguesa do Lixo Marinho, Skin Deep

Deixar comentário

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.