Fondue de queijo vegan

Fondue de queijo vegan

Mais um mês, mais uma receita da plataforma Criatividade ao Lume em exclusivo para a Maria Granel.

Cada receita tem a sua história

Nos últimos anos, muitas foram as pessoas que se reuniram e usaram a sua criatividade contra o desperdício alimentar, um tema abordado com muito amor na Maria Granel.

No entanto, durante o século XIX e o século XX a criatividade ao lume foi uma ferramenta essencial de sobrevivência perante a escassez de alimentos vivida por muitos, especialmente durante e após primeira e segunda guerras mundiais. Vários pratos, hoje considerados tradicionais, como a açorda portuguesa e o molho de carne inglês, nasceram como uma necessidade de aproveitamento dos poucos recursos alimentares.

Durante os rigorosos Invernos suíços a escassez de vegetais e frutas frescas resultou num prato tradicional suíço que hoje aquece as noites mais frias pelo mundo fora, o fondue. Os pastores alpinos eram quem mais sofria na população suíça, tendo pouco acesso a alimentos para além do leite, queijo e pão, alimentos que facilmente secavam e apodreciam. Derreter queijo com álcool foi a solução que encontraram para se manterem quentes, para impedirem o queijo de se estragar e para, ao mesmo tempo, reutilizarem o pão velho e seco.

Tradicionalmente é uma mistura de queijos temperados com kirsch (um destilado de cereja tradicional) noz moscada, pimenta e vinho branco, aquecidos numa panela própria, chamada caquelon, previamente barrada com alho esmagado. Aquecido lenta e continuamente numa base com uma lamparina, permitindo uma refeição mais prolongada, relaxada e bastante agradável. Os fourchettes são os garfos longos e finos usados para mergulhar o pão ou outros acompanhamentos no fondue.

“La fondue crée la bonne humeur!” é uma frase muito utilizada e que descreve na perfeição o motivo da nossa paixão por fondue. É tradicionalmente servido durante o Inverno e partilhado de uma forma descontraída e divertida entre amigos e família. Mergulhar e ver a mistura do fondue a cobrir o pão enquanto lentamente giramos o garfo antes de o levar à boca é um ritual com o qual nos deliciamos anualmente junto de quem mais gostamos.

Com o frio do Inverno a teimar para ir embora, este mês decidimos dar continuidade à criatividade suíça e recriamos esta receita com ingredientes à nossa medida e com o desperdício muito em conta. Esperemos que se deliciem tanto quanto nós!

 

 

Ingredientes

  • 210g caju tostado
  • 15g levedura nutricional
  • 35g farinha de araruta
  • 65g sementes de sésamo
  • 5g alho em pó
  • 5g noz moscada em pó
  • 5g curcuma em pó
  • 4 copos de água

Preparação

1 – Triturar todos os ingredientes secos juntamente com a água numa liquidificadora, processador de alimentos ou robot de cozinha, na velocidade máxima, até se formar uma mistura homogénea em cor e textura.

2 – Verter a mistura para um tacho.

3 – Aquecer a mistura em lume brando, mexendo sempre com uma colher até engrossar.

4 – Temperar a gosto com sal e pimenta, adicionar entre 1 a 2 copos extra de água e continuar a mexer até a mistura adquirir uma consistência homogénea e cremosa, mas não demasiado líquida.

5 – Servir com acompanhamentos à vossa medida e manter o tacho quente ao longo da refeição.

O pão é tradicionalmente cortado em pequenos cubos de 2 a 3 centímetros e por vezes tostado no forno, mas a lista de possíveis acompanhamentos não fica por aqui. Para além do pão tradicional, o nosso acompanhamento de eleição são batatas assadas bem pequeninas. Para uma refeição de fondue mais completa vegetais frescos ou no forno, como cogumelos e tomates cherry, e fruta fresca ou cozinhada, como uvas e maçãs, também são excelentes opções.

Se preferirem substituir a água por uma bebida alcoólica como o vinho branco, cerveja ou licor, é importante fervê-la primeiro em lume médio, antes de gradualmente adicionar a mistura.

Caso não tenham um conjunto de fondue em casa não desanimem! Podem usar qualquer tacho ou panela e um rechaud ou placa eléctrica à vossa escolha a uma temperatura baixa para manter o fondue aquecido e garfos normais ou pauzinhos para servir!

Até já!

Criatividade ao Lume

Deixar comentário

Your email address will not be published.