Podcast Maria granel – episódio 12

Podcast Maria granel – episódio 12

Alfredo Sendim – Herdade do Freixo do Meio

Neste episódio, estivemos à conversa com Alfredo Sendim, o responsável pela Herdade do Freixo do Meio, nosso querido parceiro e fornecedor.

 
A partir do exemplo do projeto da HFM e do seu próprio trajeto de vida, conduz-nos por uma Lisboa mais antiga, mais rural (e mais humana), leva-nos às artes da pesca no Algarve, em Ferragudo, quando pretendia ser pescador, e, por fim, ao Alentejo e à construção de um modelo de agricultura regenerativa, com resultados sociais, económicos e ambientais.

Alfredo acredita que o montado, um agroecossistema (“agro”, porque é criado, desenhado e gerido pelo homem e com resultados ainda mais potentes que o ecossistema natural anterior), é um dos caminhos para resolver os nossos problemas no planeta. “O futuro é a agroecologia, e o montado é o sistema mais inteligente na relação do homem com a natureza, é uma história dinâmica que promove mais simbioses do que competição. É um conjunto de diferentes seres que proporcionam um sistema dinâmico e que pode evoluir.”


A propósito de mudança e de (re)construção da “polis” integrada no sistema natural, discutimos ainda como fazer opções mais conscientes e mais responsáveis, a nível individual, e como alterar a lógica imperialista em que vivemos, a nível global, adotando políticas que respeitem os limites do planeta e os regenerem:


“O capital mais valioso no nosso desempenho é a missão que estamos a desenvolver. Há outros capitais, embora não sejam valorizados pela economia atual. O capital solo é a maior riqueza que podemos possuir. Um ecossistema equilibrado produtivo, adaptado às nossas necessidades e que nos satisfaça a todos os níveis, quer da nutrição quer de paisagem. Sou muito mais rico se tiver um solo vivo, autónomo e capaz de produzir comida para muita gente nesta herdade, do que se tiver muito dinheiro no banco.”


Na verdade, esta foi uma conversa sobre possibilidades e recomeços, sobre valores e valorização, sobre missão. O que vamos escolher ser no futuro, “um cadáver adiado que procria” ou co-criadores de um projeto maior do que nós, mais profundo e ancestral?


Muito obrigada, querido Alfredo, por este testemunho de esperança e de ética. Muita admiração pelo trabalho que desenvolve e pelo exemplo que é para todos nós.


A voz ao comando, como sempre, é da Paula Cordeiro, numa produção Streaming Ideas.


Música: “Trago Alentejo na voz” – Rancho de Cantadores da Aldeia de São Bento, António Zambujo


Esperamos que gostem!


Até já!

Deixar comentário

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.